Saleiro/pimenteiro do Jive Bunny


Não desejamos.

Anúncios

Elefante supera dependência de heroína após tratamento com metadona

Da surrupiada série ‘pra que escrever’?

Folha Online – Bichos – 30/08/2007 – 11h24
da Efe, em Pequim

Um elefante superou sua dependência em heroína com um tratamento para humanos à base de metadona, informou o jornal estatal “China Daily”.

O animal, chamado Big Brother, vivia na província de Yunnan, no sul da China, onde traficantes de elefantes começaram a alimentá-lo com bananas que continham heroína para obrigá-lo a guiar a manada ao local onde venderiam os animais ilegalmente.

A dependência se tornou tão forte que o elefante babava e rugia quando não recebia uma dose da droga.

Os traficantes conseguiram fazer com que ele guiasse a manada até a floresta onde pretendiam vender todos os animais, mas foram detidos pela polícia florestal.

Após ser resgatado, o elefante começou a sofrer síndrome de abstinência, e, como não conseguia superar a crise, os cuidadores optaram por realizar um tratamento à base de metadona.

Durante sua reabilitação, que durou um ano, o animal seguiu uma rígida dieta à base de ervas frescas, cana-de-açúcar e frutas, além de receber massagens e banhos freqüentes.

O elefante, já recuperado, voltará em breve à floresta, segundo seus cuidadores.

Remanescentes do 11/09

vito_valenti.jpg

Tremi nas bases com o ensaio fotográfico que Allan Tannenbaum fez com alguns sobreviventes (trabalhadores, voluntários, vizinhos e tudo mais) do onze de setembro. O link estava no BoingBoing ontem e é, no mínimo, necessário.

“I think that the attack of 9/11 hasn’t seen the last of its victims, not even remotely. There’s going to be victims for many years to come, unfortunately.”

Esquisofrênia informativa

Li na Folha e fui lá conferir: os hermanos do diário Página 12 realmente disseram que nosso país em crise aérea vive um momento de “esquizofrenia informativa”. Eu sou muito vítima desse fenômeno, pois tenho a missão de tentar (conseguir é outra história) argumentar com qualquer pessoa que tente me convencer de qualquer coisa sobre o meio de transporte mais seguro do mundo – o meu predileto na categoria segurança continua sendo meu tênis (e suma já daqui você que eu não convidei a me visitar e veio revisar meu texto errado).

Sem querer, acabei esbarrando em mais uma informação a respeito do acidente da TAM que, no que tange à lei de Murphy, por enquanto é campeã.